Uma dica simples que te vai fazer dar um salto na vida

atenção própria trabalho Aug 21, 2020


Tempos corridos, são tempos de fortalecimento do ser.

Chega de andares a ouvir as preocupações alheias, e as histórias que não são tuas. Percebemos que às vezes não é fácil no contexto, mas se apenas pensarmos em tudo o que de mau pode acontecer, é essa a realidade que vamos acabar a viver. (Aliás já é um bocado esse o sentimento à nossa volta, não é?)

Mas é exactamente para te tirar desse (ou evitar que vás para esse) lugar que te escrevemos hoje.

E agora que acho que já tomaste bem consciência da dinâmica, vou-te dar a receita que damos aos nossos clientes quando os vemos neste espaço.

 

Ao mesmo tempo que tratas da tua evolução, tens de que ir cultivando alguns aspectos em ti que te vão permitir navegar pelos desafios da vida, com maior serenidade.

 

#1 A atenção própria

Atenção a ti. Ao que precisas e ao que o teu corpo precisa. Como o teu maior activo; não é como um carro que apenas serve para te transportar. (às vezes tenho que falar assim de forma mais assertiva, porque esta questão realmente não é poesia). É isto que vai permitir criar em ti uma reserva de amor, e cultivar as qualidades necessárias para que possas navegar pelos altos e baixos da vida, sem grandes oscilações.

 

#2 A atenção alheia

Não podes continuar a passar pela vida, sem lhe dar a devida atenção. Atenção a tudo o que tens. Em ti e fora de ti. À tua volta. este simples acto vai despoletar em ti, uma série de outras qualidade de vibração elevada, como a admiração e a gratidão, que por si só vão despoletar em ti a produção de um cocktail de hormonas de absoluta felicidade. (Isto não é brincadeira !).

 

Entendeste agora o que tens de fazer para sair do marasmo? Prestar atenção. A atenção gera amor, e o amor faz milagres.

 

Num próximo artigo falo disto com mais detalhe, mas agora precisava mesmo de te dar esta nota.

Acredito que possas tirar um enorme partido dela na tua vida.

(todos os comentários são extremamente bem vindos !)

 

Na vida tens sempre duas opções: construir ou assistir / estar no palco ou na plateia. Ser parte interveniente da vida; ou passar pelos pingos da chuva acreditando que nenhum te vai molhar. Só que, se tiveres neste último quadro, ao defenderes-te das ameaças, também te defendes das oportunidades. Ao anestesiares o sofrimento, fechaste à alegria; e por aí fora. E aí… aí é só esperar que os anos passem, e que cada dia seja um bocadinho menos sofrido que o último.

 

Mas agora eu vou-te fazer uma pergunta.

(Atenção que é séria!)

Achas que foi com essa intenção que iniciaste toda a tua viagem na terra? Achas que foi com esse espírito que iniciaste toda uma jornada de auto-criação de ti na barriga da tua mãe? Não pois não? Acredito que a tua intenção era um bocadinho maior que isto.

 

Então passamos à segunda parte da questão, que é:

Então porque é que não consegues dar o salto para saíres desse lugar onde não queres estar?

Porque é que cais de novo na rendição, no repetir do que já conheces, no anestesiar de vivências sem significado.

Eu sei porque é que cais. Porque o ser humano quando não tem entusiasmo, tem preguiça; e neste lugar vai sempre fazer opções mais seguras e mais conhecidas; apenas porque não tem confiança na vida.

E é por isso  que dedicamos a nossa vida à criação de ferramentas que te suportam exatamente a sair desta zona de preguiça e a conectares-te com o que mais te entusiasma na vida.

 

E é tudo isto que queremos partilhar contigo.

Rita e Rodrigo

 Outros artigos inspiradores 👇👇

5 dicas para uma vida altamente feliz e realizada 
O que te impede de dares o próximo passo?

PS: Se sentes que este é o momento para criares uma mudança positiva na tua vida, ou simplesmente sabes que o que estás a viver não é a pura expressão do teu potencial, espreita as ferramentas que temos vindo a desenvolver: Cursos e Programas.

Recebe esta inspiração na tua caixa de correio

Se gostas dos conteúdos que partilhamos, coloca aqui os teus dados,
para que não percas um !

Detestamos SPAM, não vais nunca receber isso de nós.